A infância é um momento muito importante da vida, pois é durante esse período que a criança desenvolve suas características físicas, intelectuais e socioemocionais. Os problemas de comportamento infantil fazem parte desse processo e precisam de atenção para que sejam superados e corrigidos.

Esses problemas podem afetar direta e indiretamente a vida da criança e de sua família, portanto, é interessante prestar atenção nas atitudes e reações das crianças durante esse período, detectando aspectos que devem ser trabalhados para melhorar a qualidade de vida.

Neste artigo, mostraremos 6 problemas de comportamento infantil e o que pode ser feito para lidar com eles de forma eficiente. Continue a leitura!

  1. Agressividade

A agressividade é um comportamento bastante comum durante a infância, mas quando é exagerada, precisa ser analisada. Esse modo de se portar pode ser um sinal de que a criança não está lidando bem com algum sentimento ou situação, o que a torna agressiva em determinados momentos.

As famílias devem conversar com os filhos para entender o que está acontecendo e tentar identificar o que causou a agressividade. É importante mostrar que é preciso ter calma diante das situações e não reagir dessa maneira. A criança precisa entender que aquela atitude afeta outras pessoas, podendo causar mágoas e provocar o isolamento e a tristeza.

Em alguns casos, é indicado buscar ajuda profissional. O psicólogo infantil consegue apoiar os responsáveis na descoberta da origem dos comportamentos agressivos e pode ajudar na abordagem dessas emoções.

  1. Indisciplina

A indisciplina também é um comportamento que pode ser notado facilmente pelas famílias e pelos professores. Às vezes, quando as crianças passam a crescer e entender um pouco mais sobre suas atitudes, deixam de dar ouvido à opinião de seus responsáveis e passam a agir com rebeldia.

A birra pode ser um exemplo de indisciplina, pois leva a criança a não fazer o que é solicitado, chorar, espernear, gritar e ser agressiva. Muitas vezes, esse tipo de ação deixa a família com vergonha em público, o que leva os adultos a deixarem o filho fazer o que deseja para não passar mais vexame.

Resolver esse problema dessa maneira não é o mais saudável, pois isso pode incentivar que o comportamento se repita. Para evitar esse ciclo, as famílias devem ter calma e chamar os filhos para conversar. É preciso demonstrar a importância de respeitar os responsáveis, sejam eles membros da família ou professores. Desse modo, o filho entenderá que a birra não é uma atitude correta e que traz resultados prejudiciais a ela.

  1. Baixo rendimento escolar

Entre os problemas de comportamento infantil notados pelas famílias está o baixo rendimento escolar. Pode acontecer de a criança ter boas notas e sucesso nos desempenhos, mas em certo momento, sofrer uma queda repentina de resultados, e isso deve ser avaliado com atenção.

A queda no rendimento pode ser explicada por problemas de autoestima, dificuldade em compreender alguma matéria, vergonha, bullying, entre outros motivos. Seja qual for a causa, é preciso detectá-la e trabalhar para solucionar o problema. Desse modo, a criança volta a se concentrar nos estudos e atingir um desempenho mais alto.

  1. Tristeza persistente

Outro comportamento que deve ser acompanhado é a tristeza, principalmente quando ela é persistente. O primeiro passo é observar e compreender o que está de fato acontecendo com a criança. Se não há reflexos no corpo, como alguma doença, é mais provável que o problema seja comportamental, e não médico.

Os sinais podem variar, como choro, andar cabisbaixo, se isolar, irritação, entre outros. Nem sempre o motivo da tristeza é algo muito relevante, pois as crianças não têm a dimensão correta de cada problema. Mesmo assim, é importante não menosprezar o sentimento.

A ideia é ajudar a promover uma mudança de mentalidade, demonstrando que existe saída para o problema que ela está passando e que você está disposto a ajudar. Com amor e carinho, é possível superar esse comportamento e trazer alegria para o dia a dia.

  1. Mentiras

A criatividade das crianças é muito presente, mas algumas delas começam a aproveitar essa característica para inventar histórias e, em alguns casos, mentir. As famílias conseguem detectar esse comportamento nos filhos com facilidade, pois as mentiras não se sustentam ou são facilmente desvendadas.

Primeiramente, a família não deve perder a confiança nos filhos, mas verificar as informações. Quando a criança for abordada sobre o assunto, é saudável demonstrar que há o perdão para a mentira, mas que é preciso mudar essa forma de agir.

Antes de dar uma bronca mais séria, vale a pena olhar pela perspectiva da criança para entender o que a levou a mentir. Essa atitude pode ser gerada por medo das consequências, por exemplo, o que precisa ser conversado para que não aconteça. Além disso, é fundamental dar o exemplo, ou seja, ser honesto na sua comunicação com os filhos.

  1. Preguiça

A preguiça também pode fazer parte da infância, sendo normal na maioria dos casos, mas deve ser um ponto de atenção quando se torna muito frequente. Quando o filho não tem interesse em fazer nenhuma atividade (escolar, brincar, ou qualquer outra coisa), é um sinal de alerta que deve ser considerado.

Uma boa forma de contornar esse problema é não forçar a criança a fazer uma atividade que ela não goste. Ofereça opções e deixe que ela escolha, pois o interesse aumenta a vontade de fazer qualquer atividade. No caso de tarefas escolares, é preciso demonstrar a importância desse afazer, falando sobre como ele influencia o desempenho e o futuro.

Neste artigo, apresentamos alguns problemas de comportamento infantil e o que pode ser feito para lidar com eles. O esforço da família é fundamental nessas ocasiões, pois ela pode identificar as causas e conversar com as crianças para resolver as dificuldades. Todo esse acompanhamento precisa ser feito com muito amor e carinho, prezando sempre pelo bem-estar dos filhos.

Fonte: Escola Inteligência